domingo, 16 de janeiro de 2011

Black Music

Hoje quero falar mais um pouquinho sobre música, sou bem eclética, e escolhi falar sobre a black music aprendi a gostar mais ainda com meu ex prof´s de canto…hehe..o Rogério…, quem gosta de música black aí levanta o dedo ???? hehe..Deve ser por isso que já coloquei aqui no blog sobre a música Amazing Grace…pura coincidência…
Sabe o que mais gosto da música black? Primeiro a voz da raça negra…geralmente os que cantam tem uma sonoridade tão forte e marcante que não tem como não ser tocado! E também gosto das reviravoltas todas que eles fazem com a voz, são os chamados “Melismas” (vocalização de uma sílaba com quantidade indeterminada de notas);
Já ouviu alguma música de Aretha Franklin ? Pois é…ela faz isso muito bem…Whitney Houston também, a facilidade que se tem de dar continuidade em um som passando de uma nota a outra (grave e aguda). Ai entra o improviso…e como improvisammm…É muito bom…vai um pouco de história aí…

“(…) Isso começa lá na África do Norte. (…) Quando foram trazidos  para a América e postos como escravos eles cantavam pra lamentar suas tristezas,  as chamadas Worksongs - cantavam com o timbre não impostado e do jeito rítmico e  também adaptaram o inglês para o black english (o inglês negro americano de jeito rítmico de falar). Como na melopéia as worksongs também tem as perguntas e  respostas no canto.Os negros quando escravos eram evangelizados e após a libertação, os negros que foram adeptos do protestantismo permaneceram a freqüentar os cultos das Igrejas. Como era de costume dos brancos anglo-saxões cantarem os salmos, os negros aprenderam a cantar com os brancos, com a voz impostada e usando o diafragma, porém como eles não conheciam a escala diatônica (escala com sete notas) tinham dificuldades de cantarem nessa escala, por estarem acostumados com a escala pentatônica (escala de influência oriental com cinco notas), aliás, eles cantavam na pentatônica menor.E para complicar, eles sofriam muito com o racismo, o que os obrigou a se retirarem das igrejas brancas e fazerem seus cultos ao ar livre os chamados CAMP MEETING. E os salmos eram cantados com apelo no blues, ou seja, na escala pentatônica menor.
 

História da Black 2ª Parte

Quando houve a libertação dos escravos, musicalmente  falando, eles se dividiram em dois grupos os que seguiram a linha do Blues e os que seguiram a linha do Spiritual.Nasce então o Spiritual que era cantado à
Capela (só voz). (…) No Blues foi incorporado o instrumento, para manter a característica do lamento das worksongs e as respostas, dessa vez quem fazia, era o instrumento. Ray Charles – um cantor de Jazz e Blues começa a trazer para o secular o jeito de cantar do Gospel. E como ele outros cantores e cantoras
Gospel começam a gravar no secular. Nasce a Soul Music, canto com alma – que é o jeito do gospel, porém com letras que falam de amor.

Black Music Gospel - Um pouco de História

No Brasil, o canto black gospel foi introduzido nos anos 80, pelo cantor Álvaro
Tito (uma voz, aliás, que lembra muito o timbre do Steve Wonder). Tivemos
Depois, no começo dos anos 90, a aparição do Matos Nascimento (voz rouca estilo
Ray Charles). Na metade dos anos 90, cresceu o movimento Black Gospel. A igreja evangélica
Pedra Viva, em São Paulo, foi o grande celeiro de cantores e bandas, tais como:
Templo soul, Quarteto feeling, Quarteto Lynk 4, The Family, Groove Soul, Soul
Dream, Coral Just Sing (Comandado pelo cantor Robson Nascimento, que foi o
modelo vocal inspirador para todos esses grupos e vozes), Raiz Coral (liderado
por Ségio SAAS) e Black Singers. É interessante lembrar que o black gospel, nos Estados Unidos, precedeu a Soul Music (versão secular do gospel), a partir dos anos 60, e fez toda uma geração
se influenciar pelo modo ardoroso de se cantar com alma.” É claro que vou deixar uma musiquinha estilo black para vcs…e vou deixar meu cantor black  favorito Kirk Franklin junto com seu Coral… detalhe Coral é um sonho do meu coração, como esse melhor ainda, haha!

 


Grande Beijoo

Um comentário:

Leandro Red disse...

Gosto muito de Black music e não conhecia a sua origem muito menos a introdução através dos escravos e do gospel. Muito rica essa informação, parabéns querida, e por favor continue me alimentando, rsrrsrrs...